Seguidores

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Cambada de teatro de rua Levanta Favela


Política, religião e futebol são os temas de "Futebol, Nossa Paixão", do grupo Cambada em Ação Direta Levanta FavelA... A montagem de rua discute as consequências que um megaevento do porte da Copa do Mundo traz para o povo, desalojando populações, pelo único prazer dos torcedores em ver o país sagrando-se campeão com os próprios olhos e a luta entre burgueses e favelados através da consciência das desigualdades sociais.
Apresentação dia 22/12, quinta feira, às 16h na Praça da Alfândega

APAREÇAM!!!!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

IV edição "A OUTRA FESTA"


IV EDIÇÃO " A OUTRA FESTA" - PELO XINGU VIVO, CONTRA BELO MONTE. 
OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS

ESCADARIA DA BORGES 719

PROGRAMAÇÃO em construção
11HS – APRESENTAÇÃO DA INTERVENÇÃO DE TEATRO PACHA MAMMA ESQUINA DEMOCRATCA.

12HS - RODA DE SAMBA/CHURRASCO DE CARNE E VEGETAL NA ESCADARIA
FESTA DE ENCERRAMENTO DA OFICINA DE AÇÃO DIRETA LEVANTA FAVELA 2011


15HS - CINE AUTONOMO


16HS – OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS – PELO XINGU VIVO - AÇÃO DIRETA E BATE PAPO.
FEIRA DE ESCAMBO

17HS - Peça "Futebol Nossa Paixão" - Levanta Favela

19HS – SARAÚ BIODIVERSIDADE – POESIAS, MUSICAS, INTERVENÇÕES. 
19HS – CHURRASCO DE ANIVERSÁRIO 


21HS – FESTA: BATUCADA COLETIVA ATÉ O AMANHECER

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

ESTREIA FUTEBOL, NOSSA PAIXÃO! pra falar sobre política, futebol e religião....

A Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta FavelA...fez a estreia de sua nova peça para teatro de rua ''Futebol, Nossa Paixão: Para falar sobre política, futebol e religião!'' uma livre adaptação do texto ''Corinthians, meu Amor'' de César Vieira. A estreia que aconteceu ontem, dia treze de dezembro na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre, data que a Cambada escolheu pelo valor simbólico, pois há 43 anos atrás, nesta mesma data foi instituído no Brasil o Ato Institucional Número 5 (AI-5) que instaurou a censura proibindo qualquer tipo de manifestação em espaços públicos, proibindo manifestações populares de caráter político.Proibindo, também,  a execução de peças de teatro e músicas.
  A peça aborda as expectativas e consequências da vinda da copa do mundo para o Brasil, em 2014. Este mega evento, que já está desalojando milhares de famílias de diversas vilas de Porto Alegre e de outras cidades do Brasil que também serão sedes de jogos da Copa.
Hoje em Porto Alegre já é possível perceber a implantação de um ''toque de recolher'' que está fechando diversos bares no bairro Cidade Baixa, qualquer tipo manifestação popular já está sendo duramente reprimida. Este é só o início da implantação de uma limpeza urbana que se tornará cada vez mais repressiva a medida em que se aproxima a vinda da Copa do Mundo. Seguem, abaixo, algumas fotos da estreia de ''Futebol, Nossa Paixão: Para falar sobre política, futebol e religião!''
Fotos: Beatriz Parodi.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

ESTREIA FUTEBOL, NOSSA PAIXÃO!

DIA 13 DE DEZEMBRO ESTREIA AS 17 HORAS NAS ESQUINA DEMOCRÁTRICA - CENTRO.
É TUUUUUUDO NOOOOSSOOO!!!!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Dialógos na Esquina: Ato pela Arte Livre de Rua

A CAMBADA DE TEATRO LEVANTA FAVELA CONVIDA:
DIÁLOGOS NA ESQUINA
O ESPETÁCULO "ARVÓRE EM FOGO"...
NAS "BARBAS" DA FEIRA DO LIVRO DE POA. - 
NOSSA MEMÓRIA NÃO ESQUECE. CONTRA A REPRESSÃO AOS ARTISTAS POPULARES.
DIA 15/11 AS 17HS NAS VOLTAS DA FEIRA DO LIVRO. VAMOS DAR UM BASTA A ESSA CENSURA!
AÇÃO DIRETA É A ARMA QUE NOS TEMOS...

2ª Feira do Livro Anarquista de 11 a14 de Novembro!!!

Agressão policial na Feira do Livro de Porto Alegre

Feira do Livro PSEUDO cultura e REPRESSÃO
Nesta segunda-feira, dia 7 de novembro, aconteceu mais um ato de repressão e agressão na Feira do Livro de Porto Alegre. Durante uma entrevista no estande da RBS, um jovem manifestou-se em público reivindicando a veracidade e a qualidade dos temas abordados e a falta de crítica do público que aplaudia. A polícia militar interviu de modo agressivo e o jovem teve seu braço fraturado. E não ocorreu algo pior porque os policiais foram pressionados por cidadãos CRITICOS QUE INTERVIRAM FILMANDO E CHAMANDO TODOS A SE MANIFESTAREM, A QUESTIONAREM OS POLICIAIS.

Fale mal da RBS, sendo verdade ou não, e seu braço será quebrado instantaneamente!!

Não é a primeira vez que isso ocorre na Feira do Livro. Em 2010, vi uma artesã ser agredida por policiais e seus trabalhos quebrados e “levados” pela SMIC, pois ela estava expondo muito perto das bancas de livros. Assim também foi, no mesmo ano, com Telma Scherer, poeta e performer que durante uma intervenção teatral no centro da Feira foi levada a força por policiais, colocada na viatura da Brigada Militar e acusada de INSANIDADE MENTAL. Telma viveu momentos de humilhação e terror por que ela expôs a realidade social de artistas que tentam sobreviver da literatura, enquanto a grande mídia venera seus escritores eleitos como estetas e ignora, na maioria das vezes, obras que oferecem um olhar crítico e diferenciado, muito além do que Crepúsculos ou qualquer outra saga de besteirol juvenil.

QUE CULTURA É ESSA QUE COIBE A EXPRESSÃO, EM QUE QUALQUER PENSAMENTO CONTRÁRIO À LÓGICA CAPITALISTA E ALIENANTE DE MERCADO LEVA À AGRESSÃO???

A CULTURA que está sendo VENDIDA na Feira do Livro de Porto Alegre e o culto aos best sellers, os mais vendidos, os BESTAS CÉLEBRES, a biografia do Steve Jobs, grande empresário que morreu de câncer - de tanto ficar na frente do computador e acumular dinheiro de certo; a Marta Medeiros com uma capinha de mulher nua, doida e santa, como se fosse feminista, e vendendo o corpo da mulher como uma SEXISTA MACHISTINHA. Um monte de besteiras RASAS que enche os bolsos da INDUSTRIA CULTURAL: fábrica de livros, editoras, livrarias, lojas, mídia, e escritores meia-boca e até mesmo algumas vezes MEDIOCRES que em vez de produzirem o alimento cultural do povo, vomitam a mesma baboseira todos os anos com a capa mais moderna.

Tem outras coisas também, claro que pode acontecer na Feira do Livro. Você encontra com a vizinha, leva o tio pra passear, encontra um livro interessante, paga, compra, lê... Até que vale a pena né? E enquanto isso o seu IRMÃO QUE NÃO AGUENTOU FICAR CALADO CONSERTA O BRAÇO que foi QUEBRADO para garantir a continuidade da MEDIOCRIDADE E DOS LUCROS.

Até quando essa DITADURA DISFARÇADA vai continuar???


Grupo Autônomo de Imprensa BLS- Boca Livre Semcensura.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

PENSAMENTO QUE NÃO SE TRANSFORMA EM AÇÃO ENVENENA A ALMA!!


  Ingressos a venda na bilheteria do teatro 1h antes da apresentação

                                 NO  TEATRO  DA  CIA  DE  ARTE
                                 Rua dos Andradas, 1780 - Centro.
                                 SEMPRE AS 21 HORAS
                               *Somente 25 ingressos por apresentação
                                            Inteiro R$ 20,00
                                            Meia entrada R$ 10,00

Graphis Porto Alegre

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

...MAIS UM ANO A REPRESSÃO AOS ARTISTAS DE RUA ACOMPANHA O EVENTO DA FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE.

"(...)Estávamos eu e meu marido tocando no lugar de sempre na Andradas ali na frente da Americanas, fazendo nosso trabalho honesto. Estava cheio de gente por causa da feira do livro, nisso chegam dois homens que não quiseram se identificar, mas eu vi que eles estavam com o crachá por dentro da camisa da Smic, a kombi da Smic sempre passa por ali e nem nos dá bola, nunca nos incomodaram. Então, eles começaram a gritar conosco dizendo que a rua não era pública que era pra desmontármos tudo e irmos embora. Eu com toda a educação disse que tocávamos ali há 3 anos e nunca tivemos problema, mas que tudo bem, que iríamos ir ali mais pro lado da praça da Alfândega então. Nisso eles disseram que eles não nos autorizavam a tocar lá também e começaram a nos chamar de mentirosos que nunca tinham nos visto ali antes e que iam nos prender. Eu pedi pra ele não gritar que nós não éramos marginais, que estávamos apenas ali fazendo nosso trabalho e que se alguma coisa estava irregular, que eles nos orientassem dizendo o que precisávamos fazer. E eles continuaram ironizando, dizendo que éramos mentirosos, que nunca passava kombi deles ali e que se nós estávamos achando ruim, que nós fossemos nos queixar com o prefeito. Começamos a desmontar as coisas e eu pedi os nomes dele, e eles não quiseram me dar. Resumo: Esse toque de hoje e de amanhã seria o que nos manteria na semana, agora estou com medo de voltar lá, isso sem contar o constrangimento de duas pessoas que nem se identificar queriam nos chamando de mentirosos e nos tratando como se fossemos bandidos perante uma multidão que estava ali feliz e fazendo pedidos musicais. Estamos nos sentindo como uns lixos, por que isso? Porque somos músicos? Porque somos rockeiros? É crime isso, tocar rock e deixar as pessoas que estão passando mais felizes?(...)"



Aline Love e Carlos Vinícius (Porto Alegre, 29/10/2011)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Carta aberta de denúncia sobre a área FEPAGRO em Eldorado do Sul

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST – ocupa uma área da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO). A terra, de 480 hectares, foi ocupada no dia 24 de outubro pois não está cumprindo a sua função social de desenvolver pesquisas que beneficiem a população do Rio Grande do Sul.

* Dos 480 hectares da área, 130 estão sendo arrendados ilegalmente há 17 anos. Diante disso, denunciamos que:

a) a área é arrendada para a plantação de arroz convencional;
b) nessa lavoura é aplicado agrotóxico com a utilização de avião;
c) as aplicações de agrotóxicos e venenos ocorrem próximas ao Assentamento Conquista Nonoaiense e a Vila Progresso. É sabido que o uso de agrotóxicos causa prejuízos á saúde humana, como o desenvolvimento do câncer, depressão e outros problemas;
d) constatando que o arrendamento de terras públicas é ilegal, questiona-se: quem fica com a renda da plantação de arroz?
e) a FEPAGRO não tem projeto de pesquisa para as suas áreas no estado que em geral estão abandonadas. Uma prova disso são as ocupações realizadas pelo MST e MAB em Vacaria e em Eldorado;
f) o governo do estado não apresenta soluções imediatas para o assentamento das mil famílias acampadas. Em abril deste ano o governo assinou um acordo de assentar 550 famílias até setembro, mas até agora não fez nada. Além disso, fazem três anos que nenhum novo assentamento é criado no estado;
g) o diretor da FEPAGRO de Eldorado do Sul, Maurício Dasso, admitiu que a terra está sendo arrendada e manifestou interesse em ceder a área para pesquisa em arroz ecológico. Ele afirmou que a pesquisa com arroz ecológico não é empecilho para criar assentamento no local;
h) Considerando que a maior produção de arroz ecológico no RS é das famílias do MST, a melhor maneira de realizar esse projeto é com a criação de um assentamento no local.

* Diante da situação dessa área: ilegalidade, não cumprimento da sua função de pesquisa e prejuízo às famílias da região, propomos:

a) que a área seja destina à Reforma Agrária, garantindo assim a produção de alimentos orgânicos, sem uso de agrotóxico. Ao invés de beneficiar somente um arrendatário, a área vai beneficiar cerca de 30 famílias acampadas que precisam de terra para trabalhar, bem como a comunidade local, que poderá adquirir alimentos baratos e saudáveis;
b) as famílias assentadas no RS, depois de lutarem com o MST, produzem atualmente 3.800 hectares de arroz orgânico. A safra prevista para 2011 e 2012 é de 350 mil sacas. A produção de 400 famílias é distribuída para a merenda escolar e cestas básicas da CONAB. O volume da produção orgânica garantiu às famílias conquistarem uma unidade de beneficiamento de sementes em Eldorado do Sul;
c) ao serem assentadas nessa área em Eldorado, os trabalhadores e trabalhadoras passarão a fazer parte dessa conquista, já que o MST é a única organização com experiências concretas na produção de arroz.

As 200 pessoas que ocupam hoje a área em Eldorado do Sul permanecerão acampadas até que o governo apresente uma solução definitiva com relação a essa área e ao assentamento imediato das mil famílias acampadas no estado. Reiteramos que a luta do MST é por terra e liberdade para trabalhar, produzindo alimentos saudáveis para o povo brasileiro.


Assinam esta carta as famílias acampadas do MST no Rio Grande do Sul

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

DENÚNCIA SOBRE TENTATIVA DE ASSASSINATO OCORRIDO NA OFICINA DE TEATRO EM AÇÃO DIRETA.

Na Segunda Feira passada(03/10), no nosso ensaio da Oficina de Teatro em Ação Direta, que ocorreu na escadaria da Borges de Medeiros jogaram uma garrafa com água congelada na gente do prédio ao lado do Utopia e Luta atingindo um dos nossos companheiros que se machucou, mas agora está bem, felizmente. A gente podia ter se ferido gravemente se atingisse alguma parte letal do corpo.Não é a primeira, nem a segunda vez que agressões como essas ocorrem com artistas de rua, o desrespeito ao trabalho e a vida das pessoas que se propõem a construir sua história de maneira diferente aos moldes do sistema capitalista são decorrentes desde sempre. Até quando vamos deixar que tratem quem precisa da rua para se manifestar dessa maneira? Até alguém ser assassinado por estar fazendo teatro de rua? E depois? Não iremos mais as ruas para não corrermos riscos de vida? Precisamos agir contra isso urgentemente! Por isso denunciem, espalhem esse email para todas as pessoas que conheçam e estejam presentes na oficina de Teatro em Ação Direta que será hoje, segunda feira (10/10), ás 19h no Prédio Utopia e Luta (escadaria da Borges, 719) para nos fortalecermos e mostrarmos que ter arte gratuita de rua é um importante direito que todas as pessoas devem ter de se expressar sem serem agredidos, desrespeitados e sem botar a sua vida em risco!
Cambada de teatro em ação direta Levanta Favela NOVAMENTE sofre TENTATIVA DE HOMICÍDIO! Em ensaio ocorrido 10/10 nas escadarias da Borges, garrafas cheias d'água foram jogadas contra o grupo. Foram 5 garrafas cheias d'água, uma de 2 litros. Foi aberto Boletim de Ocorrência contra o condôminio do prédio Dom Felipe, situado na Duque de Caxias 1304, até que se identifique o criminoso. PM's estiveram no lo......cal e foram quase foram atingidos pelas garrafas, que para o grupo configura tentativa de homicídio, pois foram jogadas de altos andares e com insistência. Já existe um histórico de agressões por parte de moradores deste condôminio, que já fizeram outros ataques desta mesma ordem atingindo um carro, e contra a Massa Crítica quando passava pela Borges de Medeiros




A LUTA É COMO UM CÍRCULO, PODE COMEÇAR EM QUALQUER PONTO, MAS NÃO TERMINA NUNCA!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

3° CARACOL LIBERTÁRIO – ROMPENDO O CERCO!!


ATIVIDADES PERMANENTES:



EXPOSIÇÃO DE FOTOS SERVIÇOS PÚBLICOS.


FEIRA DE TROCAS * EXPOSIÇÃODE QUADRO


MURALISMO * RADIO POSTE


Horários Propostas
08:hs Preparação do Café e CHIMARRÃO MATINAL


9h Café da Manhã Consciente e Ecológico


Pós Café (organização do Espaço)


10h Mística de abertura – RITUAL do CARACOL


10h30 PRIMAVERAS INTERNACIONAIS: GRECIA CHILE, ESPANHA, MEXICO, AMERICA LATINA, DEPOIMENTOS DE ATIVISTAS E RODA DE CONVERSA


12h30 Almoço Coletivo – Alimentos Ecológicos


ORGANIZAÇÃO PÓS ALMOÇO

IDÉIAS EM MOVIMENTO
14h DO BELO MONTE Á BACIA DO URUGUAI - POLITICA ENERGÉTICA - INGÁ


14h40 SITUAÇÃO DOS QUILOMBOS – ONIR – FRENTE POPULAR NEGRA E QUILOMBOLA


15h20 OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS - LEVANTA + UTOPIA + GRUPO MANJERICAO


16h “DROGAS, LOUCURA, CIDADE E AUTONOMIA”? MOINHO NEGRO


16:40h MARCHA PELA PAZ E NÃO VIOLENCIA ATIVA- Mov. Humanista


17:20h MACHISMO NOS MOVIMENTOS SOCIAIS – MULHERES REBELDES


18h TEATRO DO OPRMIDO - OFICINA Levanta Favela


18h40 Café da tarde Consciente e Ecológico

19h10 ASSEMBLÉIA LIVRE DO CARACOL - NOSSAS AÇÕES


22h MUTIRÃO DE LIMPEZA E RUFAR DOS TAMBORES


23h ** TOMADA CULTURAL DO LARGO ZUMBI


ATÉ UM MUNDO LIVRE...




* CIRANDA dasCRIANÇAS. CADA COLETIVO CONTRIBUI COM UMA HORA PARA A CIRANDA. AUTOGESTÃO NODIA.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011


O 3° CARACOL LIBERTÁRIO CONVIDA PARA A OCUPAÇÃO CULTURAL NO LARGO ZUMBI DOS PALMARES APARTIR DAS 23HS DO DIA 15/10.
A OCUPAÇÃO CULTRAL TRAZ ATIVIDADES COMO: TEATRO, CIRCO, ARTISTAS POPULARES, MURALISMO, BANDAS, FOGUEIRA, BATUCADA COLETIVA, FLORES, PRIMAVERA, ALEGRIA, REBELDIA, PRATICAS LIBERTÁRIAS E SANGRIA.
* TRAGA SUA CANECA E VENHA DE BICE
* TRAGA FRUTAS E BEBIDAS PARA PARTILHAR
*TRAGA SUA BARRACA E INSTRUMENTOS MUSICAIS


UMA OCUPAÇÃO QUE PRETENDE DEBATER NA AÇÃO DIRETA E ATRAVES DA CULTURA A UTILIZAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS, QUESTIONAR A DEMOCRACIA REPRESENTATIVA NA QUAL NÃO NOS SENTIMOS REPRESENTADOS.
LUTAMOS POR UMA DEMOCRACIA REAL E UM MUNDO LIBERTÁRIO

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A UNIDADE CAMPO E CIDADE CONVIDA PARA OS SARAUS EM DEFESA DA REFORMA AGRÁRIA
A ocupação do MST de Viamão e o movimento autonomo utopia e luta estarão realizando nesse sabado atividades culturais em defesa das ocupações de terra e da reforma agrária.
A Ocupação de Viamão convida:sábado, a peça teatral Pacha Mama será apresentada pelos camaradas da CAMBADA DE TEATRO EM AÇÃO DIRETA LEVANTA FAVELA...
Amanhã, todas/os na Ocupação de Viamão! Onde? Ocupação do MST em Viamão, próximo do pedágio Quando? Neste sábado, 1 de outubro, a partir das 14hs.
No mesmo sentido o UTOPIA E LUTA convida para sarau em apoio a ocupação do MST neste sabado dia 1* de Outubro a partir das 20hs no Quilombo das Artes - escadaria da Borges 719.
Apresentação do filme O GRANDE TAMBOR
Logo depois musica latina e batucada coletiva.

*TRAGA SEUS INSTRUMENTOS POESIAS, TRAGA SUA ALEGRIA E REBELDIA.

Participem: Ainda dá tempo!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Na manhã desta terça-feira (27), a Brigada Militar impediu a entrada de alimentos e água no acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Viamão.

Durante a manhã, assentados e apoiadores do Movimento tentaram levar galões de água e comida para os acampados. Neste momento, a Brigada Militar impediu a passagem dos automóveis que levavam os alimentos. Os trabalhadores e trabalhadoras decidiram então, buscar a comida nos automóveis que estavam estacionados na rodovia RS 040 quando a Brigada Militar fez um disparo de arma de fogo.
Os acampados compreendem que essa ação é uma forma de intimidar a organização dos trabalhadores e das famílias acampadas do MST.
Até o momento o governo do estado não apresentou nenhuma solução definitiva para o assentamento imediato das mil famílias acampadas. Os trabalhadores permanecerão acampados na área por tempo indeterminado, mesmo com a repressão da Brigada Militar.

Catarse - MST realiza ocupações no Estado do RS

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Projeto 'Vá Pro Gás' - Grupo de Teatro Levanta Favela

MST: Ocupação e Resistência em Viamão, Vacaria e Sananduva

MST faz ocupações em Viamão, Vacaria e Sananduva

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realiza, neste momento, três ocupações no Rio Grande do Sul. As famílias Sem Terra ocupam as áreas para pressionar os governos federal e estadual para cumprir o acordo firmado em abril deste ano de assentar todos os trabalhadores e trabalhadoras acampadas hoje no estado.

Na região de Porto Alegre, mais de 300 trabalhadores ocupam uma área na RS 040, próximo ao posto do pedágio de Viamão. O local foi motivo de investigação da Polícia Federal que neste ano encontrou mais de 2 toneladas de maconha na área.

Em Vacaria, mais de 500 pequenos agricultores ocupam uma área de 400 hectares de terra próximo a BR 285, à 1km da entrada da cidade. A área, que é pública, foi destinada pelo governo para pesquisa e experimentos de plantas, mas não está sendo utilizada para esse fim.

Já em Sananduva, mais de 200 trabalhadores rurais Sem Terra ocupam uma área com mais de 300 hectares que poderia ser destinada para o assentamento das famílias acampadas hoje no estado.

O MST está mobilizado nas regiões para pressionar os governos federal e estadual para realizar o assentamento imediato das mil famílias acampadas hoje no estado. Em abril, o governo do estado, depois de um acordo com o governo federal, se comprometeu a assentar as famílias que se encontram acampadas embaixo da lona preta em todo o estado. Desde a assinatura do “Termo de Compromisso” com os camponeses, nenhuma família foi assentada.

Os trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra devem permanecer nas áreas por tempo indeterminado, pois compreendem que somente com a ocupação e resistência vão fazer com que o poder público realize a Reforma Agrária no país. As famílias só devem deixar os locais ocupados se os governos apresentarem soluções definitivas para o assentamento.

Contatos com a imprensa
Viamão: (51) 9733-8818/ (51) 9972-9044
Vacaria: (55) – 9977-5668
Sananduva: (54) – 9983-1792/(51) – 9733-8820

Assessoria de Imprensa

(51) – 9869-3559

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Domingo Cultural Afrosul Odomode


Esta intervenção cênica se chama
''Manifesto por uma Abolição Libertária''
Foi criada dentro da Oficina de Teatro em Ação Direta
oferecida pela Cambada de forma GRATUITA.

sábado, 10 de setembro de 2011

DESALOJO NA OKUPA FLOR DO ASFALTO!


No dia 5 de setembro as 19 horas,dois policiais chegam prepotentes na porta da ocupação FLOR DO ASFALTO com fuzis nas mãos gritando que atirariam na cachorra caso ela os mordesse,depois de ameaças de derrubar o portão abrimos a porta,eles pediram alguém com documento e entregaram uma notificação,esta do desalojo já marcada pra acontecer no dia 30 de setembro.

Diante de momento tão sensível,decidimos não cancelar nenhuma das atividades no espaço programadas pra este mês,pelo contrario,queremos efetiva-las com todo o tesão e energia que possamos,nossas propostas e nosso kotidiano não se enfraqueceram por conta desse alarme.
Chama-mos pela solidariedade internacional neste dia,que todxs as flores espinhosas manifestem sua raiva ao existente do modo que lhxs parecer mais interessante.
Enviamos um salve pra todxs xs compas que queiram vir partilhar desse momento de luta conosco,precisamos de apoio.
Que a solidariedade ecoe pelos quatro cantos....
Viver hoje no caos do porto, é como andar em uma corda bamba com os olhos vendados...
Mantemos o equilíbrio, mesmo sabendo que a queda é inevitável...
Formado por diversos coletivos inerentemente nômades, diversas mãos, energias e ganas pulsam e pulsaram por aqui, deixando essa terra aterrada cada vez mais fértil.
Mãos se calejaram, lagrimas escorreram, controvérsias, rupturas, desentendimentos e latências emotivas fluem e contaminam o ar, contaminam de rebeldia, questionamentos, esses ares tão densos do porto.
E hoje, nos selvagens, estamos ilhadxs num imenso mar de concreto, o Porto Maravilha nos cerca, nos sufoca.
Xs ocupantes, moradores vizinhos a Flor, aceitaram o acordo com a prefeitura e saíram com um aluguel de miséria nos bolsos e sem expectativas de uma moradia.
Agora onde antes viviam famílias pobres, vivem hoje operários, seguranças privados e maquina que destroem tudo, o inimigo mora ao lado.
Para nós movimentar-se, não cair na inércia tem sido a estratégia usada pra se contrapor ao presente momento, é nesse sentido que, de dentro dessa okupa, vociferam comunicados que explicitam o posicionamento de suxs ocupantes, visando a criação de laços de solidariedade que grite e ecoem mais alem das linhas imaginarias da cidade do Rio de Janeiro,já que os mesmos laços,em momentos como este,são sem duvida o maior arsenal que xs oprimidxs rebeldes podem encontrar.
Movimentar-se! Essa é a palavra! Convidamos a todxs aquelxs que já passaram e construíram vivencias de resistência ativa, que experimentaram novas formas de convívio, que desconstruiram(com êxito ou não) nesse pequeno oásis em meio ao caos do porto,pelo qual nos apaixonamos.....
Convidamos aquelxs que nunca pisaram nessa okupa,convidamos corpos libertários pra comemorar o quinto ano de amor e ódio na Flor do Asfalto.
Nesses cinco anos muitas coisas foram produzidas neste espaço por diversos coletivos com diversas combinações, pensamentos, estratégias e discórdias.
A Flor não é provavelmente, e não foi (pelo menos em longo prazo), o que cada um que passou por aqui gostaria que ela se tornasse.
A Flor é um organismo mutante, vivo, esquizo,um processo sem fim,uma potencia que nescessita das suas fragilidades como arma de mutação,como um vírus,uma enfermidade que fortalece a vida e cria anticorpos...
A Flor é o melhor de cada um... E o nosso melhor é também o nosso pior...
A Flor de fato não é um mundo ideal, mas sim a desconstrução do existente colocada em campos mais férteis,a desconstrução de uma utopia idílica,tem Utopia própria e é tão pautada na realidade quanto entregue as rupturas que se propõe.
Há quem sofra por experimentos mal sucedidos, há quem sofra por muitas vezes uma falta de prudência geral durante o processo, mas as ganas estão pulsantes, e cada pirata leva consigo o que deseja levar, se existem frustrações por demasiadas divisões: coletivo e individuo, eu e mundo; por demasiada rigidez, deve-se lembrar que a desconstrução e a ruptura não é fácil. Que nossa situação enquanto seres que tem ganas de libertar-se é precária, isso devido a nossa criação, devido ao nosso mundo e...
Aceitação, não acomodação e o cuidado para com nossas fragilidades é um primeiro passo para essa mudança que tanto desejamos.
Essa carta é um convite,um urro esbravejado dessa região litorânea,urro esse que voa a quatro ventos,a terras distantes,pra que outras matilhas venham.
Convite para os que viveram aqui,e para os que ainda não conhecem o espaço,essa carta também trás uma mensagem de apelo:
ESSE É O ÚLTIMO ANIVERSARIO DA FLOR
ISSO PORQUE DIANTE DA ATUAL AMEAÇA DE DESALOJO RESOLVEMOS ADIANTAR O ANIVERSARIO E COMEMORA-LO NO DIA 24 DE SETEMBRO,DIA DA GIG EM REPUDIO A REVITALIZAÇAO.
No mais um NANASMU bem forte e intenso a todxs que de diferentes cantos e de diversos modos estão direcionando suas energias na luta contra o existente.
A todxs xs Squats no Brasil que estão correndo risco de desalojo: Que o grito de resistência fale mais alto e ecoe em vossxs corações insubmissos!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

12 Grupos de teatro ameaçados de morte marcharam dia 31/8 em Bogotá

12 Grupos de teatro ameaçados de morte marcharam ontem em Bogotá


Nas ultimas décadas a Colômbia tem aparecido no panorama mundial com duas imagens contrastantes: de um lado o crescimento econômico e a condição de ímã do investimento estrangeiro são orgulhosamente salientados por governos de plantão que, ao mesmo tempo, destacam a renovação do país como destino turístico que oferece beleza e segurança para seus visitantes. A mesma segurança, porém, não é oferecida para todos os nacionais, que também não conseguem desfrutar das belezas do território. É precisamente essa a segunda imagem que tem caracterizado a Colômbia nesses anos: um país desaparecido num confronto armado que produz, sem parar, mortos e refugiados, desterrados e perseguidos.
A cada dia mais pessoas são obrigadas a abandonar suas moradas por serem declaradas "perigosas", "subversivas", "sindicalistas", "pensadores", "críticas" ou simplesmente por incomodar os projetos de controle da terra e do pensamento. Agora, segundo as noticias que nos chegam desde Bogotá, as ameaças são também dirigidas às pessoas que, através das artes, procuram uma saída ao ódio, à injustiça e à tristeza cotidiana deixadas pelo confronto. Os grupos de paramilitares chamados Águias Pretas fizeram um ultimato para que 12 organizações de teatro de Bogotá deixem a cidade ou serão mortos, sob a acusação de "se apresentarem como defensores dos direitos humanos".
Nesta terça-feira, dia em que terminou o prazo dado pelos paramilitares, as organizações não fugiram. Marcharam, fazendo resistência à desesperança através das artes e nos lembrando que nem tudo está perdido se todos e qualquer de nós podemos ser tão perigosos para os interesses dos executores do projeto que busca nos controlar e nos calar. Às 12 do meio dia desta terça-feira 30 de agosto de 2011, as organizações caminharam em Bogotá desde o "Parque Nacional" até a "Plaza de Bolívar", lugar onde se encontram as sedes dos governos nacional e distrital.
Leia mais em:
Manifesto dos 12 grupos de teatro ameaçados de morte
Fonte:  http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2011/08/496447.shtml

Polícia chilena reconhece que disparou quando assassinaram estudante

Novos indícios apontam para que tenha sido uma bala disparada pela polícia a provocar a morte dum estudante de 16 anos no fim da greve nacional chilena de sexta-feira. Reportagem de Christian Palma, da Carta Maior.
Na primeira versão, a polícia desmentiu ter disparado. Agora admite disparos para o ar à mesma hora em que o estudante foi morto.
Na primeira versão, a polícia desmentiu ter disparado. Agora admite disparos para o ar à mesma hora em que o estudante foi morto. Foto Ana Lucia Jimenez/Flickr

Ainda não está comprovado, mas os indícios apontam que a versão da família de Manuel Gutiérrez – o jovem de 16 anos morto com um tiro – é a correcta. Uma bala disparada por um carabineiro (polícia chileno) teria acabado com a vida do jovem na madrugada da última sexta-feira quando estava terminando a greve nacional de dois dias no Chile, convocada pelos estudantes e trabalhadores para protestar contra a baixa qualidade da educação pública e as desastrosas condições de trabalho enfrentadas por milhares de chilenos.
No início, a chefia da polícia descartou que o disparou que atingiu “Manolito” no tórax partiu de um de seus agentes, mas não se passaram mais do que 72 horas para se saber que, efectivamente, um dos policiais que patrulhavam a zona de Macul, em Santiago, utilizou sua arma.
Fonte:  http://www.esquerda.net/artigo/pol%C3%ADcia-chilena-reconhece-que-disparou-quando-assassinaram-estudante

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Trecho da peça "Árvore em Fogo"

Apresentação realizada dentro da programação das 27 horas Ininterruptas de Teatro em Santa Cruz do Sul.

DOIS ANOS DA MORTE DE ELTON BRUM DA SILVA

Há dois anos, no dia 21 de agosto, em mais uma ação truculenta e violenta da
Brigada Militar do Rio Grande do Sul, durante o despejo da ocupação da Fazenda Southall
em São Gabriel, o confronto resultou no assassinato do trabalhador rural sem terra Elton
Brum, 44 anos, pai de dois filhos, natural de Canguçu. As informações sobre o despejo
relatam que Brum foi assassinado por um soldado da Brigada Militar quando a situação já
encontrava-se controlada e sem resistência, ele foi morto com um tiro de calibre 12 pelas
costas. Em julho do ano passado foi concedida à família de Elton uma indenização mensal
de 70% do salário mínimo.
Mas será que é isto que vale uma vida??? Até quando perderemos companheiros
Até quando os Governos e a Brigada irão agir de forma fascista??? Basta de mortes!! Basta
de eleger assassinos!!!

domingo, 21 de agosto de 2011

Trupe Artemanha ameaçada de perder Espaço Cultural

CARTA DE MANIFESTO da TRUPE ARTEMANHA/SP
 
Ocupação e Resistência: Trupe Artemanha é ameaçada de perder espaço recém ocupado para abrigar a Escola Popular de Teatro - CITA e as Ações Culturais do Grupo.

Na data de 11 de agosto de 2011, recebemos a visita de uma equipe de Obras da Secretaria de Assistência Social e de representantes da construtora MAS (vencedora da licitação), estavam em posse da planta baixa do local, dizendo que pretendem até o fim deste mês derrubar o prédio para construir no lugar um futuro asilo, que o processo já estava aprovado pela Secretaria e inclusive sancionado pela Vice-prefeita Alda Marco Antônio.

Entenda o caso:
O espaço em questão está localizado na Rua Aroldo de Azevedo, 20, um barracão de madeira com cerca de 500m² que já chegou a funcionar como Subprefeitura do Campo Limpo durante muitos anos, e que depois serviu como sede do Instituto Oca e até o ano de 2009 para o Instituto Cultural Uboé. O local ficou abandonado por cerca de um ano, chegando a servir como sede para o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) unidade Campo Limpo, que ocupou o local por apenas 45 dias até que sua nova instalação ficasse pronta, mudando-se para um prédio privado (custo mensal da locação R$ 8.000,00 - dinheiro proveniente dos cofres públicos), deixando uma herança para o espaço que passou a servir como depósito de patrimônios públicos abandonados como equipamentos, móveis e documentos. Neste curto tempo em que esteve no local, a equipe do CRAS que faz parte da Secretaria de Assistência Social, não realizou melhorias para o prédio que estava em situação caótica, com problemas de esgoto, água, luz, infestado por cupins e até sofrendo saques e arrombamentos constantes. Além de terem resolvido o problema de água e luz realizando ligação clandestina, já que as fiações estavam condenadas, correndo risco até de incêndio no local.
Em busca de um espaço para o desenvolvimento do Projeto da Trupe Artemanha de Investigação Urbana que atualmente baseia-se em três eixos de ações: 1º) Desenvolvimento de sua pesquisa teatral com ensaios e apresentações dos espetáculos abertos à população. 2º) Criação da Escola Popular de Teatro - CITA (Centro de Investigação Teatral Artemanha) e formação artística com oficinas culturais livres oferecidas a jovens e adultos. 3º) Acesso livre de espetáculos de várias cidades do país para população a partir de Projetos do ARTEMANHA RECEBE e FESTCAL (Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo), que acontece a mais de 5 anos nos bairros do Campo Limpo.
Identificamos que este seria o melhor local para implantação do projeto “15 Anos Revelando Artemanhas” contemplado na 18ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

Em conversas com a subprefeitura do Campo Limpo, chegamos ao acordo de ocupar o espaço para realizar as ações culturais do grupo, já que este se encontrava abandonado. Assim que entramos no espaço, demos início aos reparos de pintura, limpeza, higienização, compra de equipamentos, de materiais de construção (vasos sanitários, tintas, fios elétricos etc) e na organização do patrimônio ali abandonado em uma única sala. Pós mobilização e realização de mutirão para melhorias e reformas no espaço, eis que surge o interesse do poder público (Secretaria de Assistência Social) em implantar o seu projeto neste local, atualmente batizado como CITA (Centro de Investigação Teatral Artemanha) que já completa três meses de atividades de Escola-CITA, além de ser utilizado para os ensaios do grupo e com programação de oficinas livres para a comunidade. É importante ressaltar o apoio da Cooperativa Paulista de Teatro, de vários movimentos sociais, dos Diversos Grupos de Teatro da cidade de São Paulo, interior do Estado e de outros estados do Brasil e principalmente da população da região sul de São Paulo.

A Trupe Artemanha de investigação urbana declara que continuará ocupando artisticamente o Espaço Cultural - CITA e conclama a todos para ajudarem nesta luta que estamos travando desde que chegamos a este local que não é propriedade de uma Secretaria e sim, da população.

Cultura na Periferia é resistência e não benevolência!

11 de agosto de 2011.
FONTE:
Trupe Artemanha de investigação urbana
Escola Popular de Teatro - CITA
www.escolacita.blogspot.com

Árvore em Fogo neste domingo as 16h no Arco da Redenção

domingo, 14 de agosto de 2011

Em defesa dos nossos irmãos africanos da CEUACA!


O movimento Aparício Cora de Almeida, Vive, que resiste à entrega da CEUACA ao domínio privado, vem avançando e obtendo mais espaço. Este avanço preocupa a direção da casa que está tentando todos os meios possíveis para a desocupação da casa: intimidação, tortura psicológica, processos judiciais, etc. A sua última tentativa é expulsar judicialmente os estrangeiros residentes na casa com as piores alegações possíveis. As justificativas da direção são caluniosas e escondem um racismo profundo. Os africanos que residem na CEUACA são - em sua maioria - estudantes carentes, que não possuem renda fixa e são obrigados a trabalhar onde é possível. Caso a CEUACA seja entregue - ou o processo judicial dê ganho de causa à direção -, a maioria dos estrangeiros também não terão para onde ir. Precisamos lotar a sala da audiência e prestar toda a nossa solidariedade de classe aos irmãos africanos. Convocamos você, que acabou de ler esta nota, para participar da audiência, a se realizar amanhã 15/08/2011, às 14h, na Rua Marcio Veras Vidor (antiga Rua Celeste Gobato), 10, 9° andar, sala 955
O apoio que estamos recebemos de todos os ativistas tem sido fundamental para o nosso movimento e para a preservação da casa até o momento. Agora é necessário a solidariedade com os africanos da CEUACA. Compareça e fortaleça a sua defesa!
- Em defesa dos africanos! Contra a ação judicial caluniosa da direção;
- Em defesa da CEUACA! Resistir até o final!
Movimento Aparicio Cora Almeida, Vive!


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Medéa Material- O Começo


Segue abaixo o texto sobre a Margem Abandonada MedeaMAterial Paisagem com Argonautas, pirmeira postagem do blog autodaboca.blogspot.com:
Marcando o início desse blog,resolvi comentar o espetáculo "Medea Material-Paisagem com Argonautas"da Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta Favela.Pois bem,faltava sangue em Porto Alegre,nossa tão culta quanto provinciana cidade teatral(?!).


Acho que não resta dúvidas que o Levanta Favela começou muito bem a disseminar suas idéias através do texto de Heinner Muller.O grupo jovem(não tem uma longa trajetória),vem com força total em seus dois espetáculos"A Árvore em Fogo",no qual contam a vida e luta de Bertold Brecht e no visceral Medea Material,que provoca,agride e faz pensar.Trazendo imagens fortes,que carregam ainda mais a potência do texto, a Cambada de Teatro não dá tréguas para o tédio.São quase duas horas nesse mergulho profundo em um universo atemporal de barbárie,de sangue suor e saliva que dão cor e levam o texto de Muller a ter um sentido político-critíco muito forte.Para mim,a encenação de Medéa teve muito a ver com o que vivemos hoje no teatro de Porto Alegre,o Levanta é sim marginalizado,é um grupo radical que apesar de todo trabalho muito bem "amarrado"e de oferecer oficinas abertas ao publico,não é patrocinado(eles querem isso?Como?).


Por acaso,ontem,ultimo dia dessa temporada de Medea,dia que fui assistir a peça pela segunda vez,tive a honra de ser tão publico quanto os jurados do premio Açogueanos de Porto Alegre.Que grande espinafração!Que é uma banca provinciana,antiquada e que adora um palquinho italiano,eu já tinha ouvido,ontem observando a postura desses excelentíssimos espectadores,tive a confirmação desse boatos e a estupidez com que é tratada uma nova vertente de teatro,se tornou um óbvio ululante.Risos,conversas paralelas em alto e bom som e açoites verbais esporádicos coroaram a noite de ontem,enquanto os atores estava ali,submersos em sua história,inteiros e intensos.Sandro Marques é espetacular!É vendo um ator que não interpreta,mas que vive a cena,como se fosse a ultima chance de contaminar o mundo com sua arte,que se deseja cada vez mais ver teatro assim,como arte bruta.


Longa vida ao Levanta Favela!O resto é patrocinado pelas bombas.

sábado, 6 de agosto de 2011

VITÓRIA! - Tonho Crocco - Gangue da Matriz - Processado por Rap


Tonho Crocco, que já foi da banda Ultramen e hoje segue carreira solo, está sendo acionado por causa de seu rap “Gangue da Matriz”. A “gangue” no caso são 36 parlamentares que concederam aumento de 73% a si mesmos em dezembro do ano passado (apenas 11 do PT e um do PTB votaram contra)
A música motivou o deputado Giovanni Cherini (PDT) a enviar uma representação ao Ministério Público por “crime contra a honra”. De acordo com matéria do site Sul 21, o deputado expressou “insurgência contra a manifestação espúria de Antonio Crocco, que enseja o presente pedido de providências ao Ministério Público Estadual”.
Aqui a matéria completa do Sul 21.
O músico se preocupa, com razão, com o perigoso precedente que pode ser criado caso a ação seja bem-sucedida. Em seu blog, Crocco questiona: “Não seria esta ação uma forma de censura à liberdade de expressão? Não estaria o excelentíssimo Deputado ou a quem ele representou agindo de forma truculenta? Estaríamos retrocedendo aos tempos da ditadura? Será mesmo que estamos numa democracia?”

sexta-feira, 29 de julho de 2011

APRESENTAÇÃO DA INTERVENÇÃO "PACHAMAMA" DA OFICINA DE TEATRO EM AÇÃO DIRETA LEVANTA FAVELA... DOMINGO, 31/07, ÁS 16H NO ARCO DA REDENÇÃO!!!!

Foto de Wladymir Ungaretti, tirada durante a Feira da Biodiversidade 2011.
Não podemos negar que o capitalismo entrou numa corrida maluca pelo lucro pecuniário, levando o planeta às raias da loucura.

E nesse ensandecer consumista, quem está levando os piores golpes é o meio ambiente, supermercado de onde se tira a mercadoria, mas onde não se faz a reposição.
O uso da tecnologia pelo capitalismo se faz em várias vertentes, mas só que de uma maneira estúpida e irracional.
Não podemos mais ignorar que os prejuízos causados ao planeta e, em conseqüência ao ser humano, precisam ser detidos.
Podem persistir divergências acerca do tamanho do impacto sobre a vida na Terra, mas negar o óbvio torna-se cada vez mais impossível: a poluição, o aquecimento global, o desgaste da camada de ozônio, o lixo nuclear, o desgaste do solo e das poucas florestas que ainda restam, os perigos levados á saúde através dos conservantes alimentícios, os agrotóxicos cada vez mais poderosos, etc.
Nos últimos séculos o planeta vem inchando consideravelmente. O crescimento da população tem sido acelerado pelo avanço da medicina. E o mais preocupante é que vem se dando, principalmente, nos países mais carentes, social e economicamente mais atrasados, numa proporção de 9/1, ou seja, para cada criança nascida num país rico, nove nascem em um país pobre.
Os regimes do planeta, e em especial o capitalista, que possui a visão do lucro como objetivo imediato, nunca se preocuparam em elaborar e seguir um planejamento de modo a utilizar uma tecnologia raciocinada e não tão destrutiva como a que ora vemos.
Os grandes empresários, os governos que querem o crescimento a qualquer custo, não levam em consideração a saúde da Terra. Tudo é feito em curto prazo, como uma maneira de alcançar o máximo de lucro no menor tempo possível.
Até mesmo os governantes, de quem os governados esperam bom-senso, recusam a assumir a abordagem de tais temas, relegando-os às futuras gerações, como se urgentes não fossem.
É a magnitude do uso das riquezas do planeta pelo capitalismo, sem se preocupar com a magnitude finita deste.
Os problemas relativos ao desgaste de nosso planeta, derivam, principalmente, do uso excessivo de energia. Pois frotas de automóveis multiplicam-se pelo mundo, poluindo a atmosfera, principalmente por meio do óxido de nitrogênio. Enquanto os transportes públicos são relegados a um segundo plano.
Os governos, na sua maioria, fazem parte da máfia que esconde os dados que revelam os riscos ambientais a que estamos expostos, manipulando e enganando a opinião pública, para que essa apóie todas as suas sandices.
Doenças antigas, tidas como exterminadas, estão voltando com uma força muito maior, enquanto outras novas aparecem: tuberculose, aids, câncer de tireóide e tantos outros tipos.
Rios, mares, lençóis freáticos e o ar se encarregam de transportar os dejetos desta nossa sociedade “tão” evoluída, por todo o planeta, antes tão azul.
Troca-se, hoje, a qualidade de vida pelo conforto retirado, a duras penas, do meio ambiente.
Estaremos todos nós alienados e hipnotizados pela sedução do capitalismo, em vista de nossa negligência em relação à destruição ambiental que se processa ferozmente?
Será que, também acreditamos que os recursos da natureza, mãe generosa, são ilimitadamente disponíveis?
Vida longa à Mãe Terra, se o homem permitir!
 Texto de Lú Dias (http://www.almacarioca.net/capitalismo-e-meio-ambiente-lu-dias/)



quarta-feira, 20 de julho de 2011

EM MEIO ÁS INJUSTIÇAS SOCIAIS SURGE MAIS UM MOVIMENTO DE RESISTENCIA POPULAR!

Movimento Aparício Cora de Almeida vive!

                 Manifesto em defesa da CEUACA
Somos estudantes e moradores da Casa do Estudante Universitário Aparício Cora de Almeida (CEUACA), a Casa de Estudante mais antiga de Porto Alegre. Aparício Cora de Almeida foi um ativista do movimento estudantil que pagou com sua vida para que hoje nós pudéssemos estar aqui e é mais do que justo continuarmos a luta desse militante tão ativo na causa estudantil. Esta casa, que foi uma conquista do movimento estudantil combativo, surgiu com o intuito de continuar a luta estudantil, para que tivéssemos um ponto de referência e abrigo para expor nossas ideias, projetos e atividades sociais não só para os moradores, mas também para a comunidade. Com este Manifesto queremos ressaltar a importância dessa casa na vida dos estudantes universitários carentes do Brasil e de outros países, e denunciar o ataque que ela está prestes a sofrer.
A CEUACA passa por uma grande ameaça: a remoção dos estudantes da casa e sua possível transformação em um domínio privado. Sabemos que este processo está sendo encabeçado pelo Ministério Público (MP), e que a remoção está sendo facilitada apressadamente pelo Governo do Estado, MP e, inclusive, pela própria direção da casa, que não organiza resistência alguma e controla todas as principais informações, mantendo-as em segredo.
Está claro que há interesses obscuros nessa remoção dos estudantes da casa. Sabemos que em Porto Alegre estão acontecendo várias expropriações de comunidades de baixa ou nenhuma renda do entorno do centro histórico e a nossa casa está em um local privilegiado, sendo alvo da cobiça das empreiteiras.
Governo Tarso e direção da CEUACA, juntos pelo fim da casa!
Precisamos resistir!
No semestre anterior o governo tinha outra proposta que era de doar o prédio para os estudantes. Neste semestre a situação mudou: pediram a reintegração de posse do prédio justamente num momento em que acompanhamos na grande mídia inúmeros casos de corrupção envolvendo as empreiteiras e os seus interesses “sigilosos”, sempre atendidos pelos governos de plantão. O agravante é que a direção da casa está trabalhando no sentido de entregar a casa: passa informações confusas aos moradores, não convoca com antecedência e amplamente às assembleias, controla as principais comissões internas e não deixa espaço para os estudantes da base. Como se tudo isso não bastasse, já aceitou a ideia de irmos para uma “nova moradia” que fica na zona norte de Porto Alegre que, além de ficar numa localidade de difícil acesso, os moradores seriam amontoados em 5 quartos para 80 estudantes que somos atualmente,ou seja ficaremos em 16 estudantes por quarto acabando com a privacidade e sem ter sistema de lavanderia, cozinhas e banheiros suficientes que hoje dispomos.
Pequenos fatos demonstram que a direção da casa está empenhada no despejo dos estudantes e na entrega da casa: a porta que dá acesso para cozinha da casa foi ditatorialmente fechada com cadeado, deixando os moradores sem a possibilidade de cozinhar no coletivo da CEUACA. A explicação para o fechamento da porta é para que os moradores não tenham acesso ao salão social para que não façam as suas Confraternizações e Reuniões, mas o fato concreto é que impossibilita os estudantes de utilizarem um espaço coletivo, que seria uma opção mais econômica.
É por essas e por outras que dizemos que a direção da CEUACA está a favor do governo e contra os estudantes. A sua continuidade à frente da casa significa o seu fim. Frente a esta realidade, o movimento em defesa da CEUACA exige:
- Fim das negociações de bastidores com o governo! Pela formação de um comitê de base dos moradores que participe das negociações com o governo junto à direção!
- Imediata reabertura da cozinha para que possamos cozinhar coletivamente!
- Democratização das coordenações internas, em especial a jurídica e da mídia. Destituição imediata dos coordenadores que não se submetem a votação da maioria e eleição de novos.
- Por assembleias amplas, melhor organizadas e convocadas com 48h de antecedência.
- Contra os critérios excludentes de seleção de novos moradores: abrir a casa aos estudantes carentes e aos estrangeiros.
- Contra o governo Tarso e o governo Dilma, capachos das empreiteiras! Contra o capitalismo!
- Em defesa da CEUACA! Contra o despejo, construir a resistência! Contra a direção burocrática que está no comando da casa. Pela construção de uma nova direção!
Precisamos de ajuda e queremos com este manifesto construir um grande movimento de resistência e de defesa da CEUACA! Convocamos todos os moradores da casa, os estudantes, os diretórios centrais de estudantes (DCEs), os diretórios acadêmicos (DAs), os grêmios estudantis, os movimentos sociais e os sindicatos a nos ajudarem na construção dessa resistência!
Desde já agradecemos!
Estudantes da CEUACA que compõem o Movimento Aparício Cora de Almeida vive!

“A arma mais poderosa nas mãos do opressor é a mente do oprimido.” Steve Biko

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Reflexão sobre:"Margem Abandonada Medeamaterial Paisagem com Argonautas" A Cambada de Teatro EM Ação Direta Levanta FavelA...Autor:Klawber Kilombo de Bantustãn!!!!

Obeservâncias Poético-reflexivas:

O desbunde teatral da atuação e desempenho d@s atore/as do Levanta Favela nos trás a idéia de que o superar os limites físicos,morais,psico-subjetivos e intelectuais para montar,e apresentar Medeamaterial são de uma vivacidade,e maturidade de transcender as suas próprias existências,e vivências cotidianas numa cidade provinciana como Porto Alegre.A masturbação da personagem Jasão vivido por Sandro Marques é a intelectuação sexual numa dialógica politização dos saberes teatrais num nível artísco-cultural de esfaquear o espectador em suas hipócritas concepções de sexualidade de classe média.Portanto,a exposição da personagem desnuda,poeticamente,em plena evolução do espetáculo expondo aquilo que toda a mulher na verdade quer ser,e fazer de maneira extremamente insurgente,e provocadora é contundentemente pedagógico.Porque,a forma que a personagem Medea,magistralmente int erpretada nada menos do que Danielle Rosa tem de questionar o machismo construído,e refletido no seio familiar que amamenta duas crianças de colo gêmeas,cruelmente assassinadas pela Mãe num desrespeito cujo se torna horrenda vingança contra Jasão que trás ao enredo este perfil de homem tirano e autoritário.A traição,e o abandono motiva uma espécie de ódio-dor em Medea que prepara a vingança orquestrada com perversidade e esquizofrenia.A incorporação de elementos semântico-simbólicos de Matriz Africana lembra de fato o Teatro Político Negro mesmo não sendo pelo grupo/elenco ressignifica esta obra clássica.A profundidade poético-intelectual densa nos faz mergulhar nas reflexões sobre as transgressões do seio familiar de hoje.Há assuntos abordados neste espetáculo de teatro de vivências o qual remontam esta contemporaneidade vigente.A família destruída pela traição,em específico do homem,num perfil psico-ideológico extremamente andr ocrático.A mulher com sede de vingança toca o marido com um Ebò bem feitinho,artesanalmente milenar.Demonstra que a história se repete,num ambiente medieval.O conteúdo transcrito pelos autore/as-atores-atrizes é de um caracter carregado de simbologias numa indolência existencial das personagens.A dor de Medea ao ser traída,a dor de Jasão de sentir o assassinato de ambos filhos.Causa horror,asco e incertezas sobre a perda de humanidade em detrimento da insanidade.Perdemos valores éticos,dogmas morais no qual subvertem a ordem vigente de convivência societária.Há uma sensação de excitação estético-sexual,num contexto chave de nos fazer refletir sobre o material humano,sobre o potencial humano,sobre nossa capacidade de nos auto-reconhecermos em meio ao sangue.O sangue é o extermínio cotidiano da juventude negra e pobre,o sangue são as milhões de mulheres que são mortas por seus maridos,são as crianças mortas por seus próprios pais.É o pai matando o fi lho,e o filho matando o pai,é a mãe que mata a filha e vice-versa.Vivemos neste cenário antropofágico,como diria Oswald Andrade e seu Discípulo Glauber Rocha dois Mestres Revolucionários e Profetas que previram tudo o que está se sucedendo.Desejamos fuder com o outro,desejamos comer o rim daqueles adversários,ansiamos em traçar mulheres que consideramos bonitas e sedutoras.Portanto, Medea é dialógica e libertariamente contemporânea do ponto de vista historiográfico e simbólico.A antropofagia está pensadamente inserida ou não,ou inconscientemente inserida no âmago do enredo costurado cenicamente pelo/as atuadores do Levanta Favela.Aí há um R de guerrilha teatral.Axé!