Seguidores

Histórico da Cambada

Histórico do grupo:

A Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta FavelA... iniciou suas atividades em 2008 com uma intervenção cênica de denúncia aos doze anos de impunidade do massacre de Eldorado dos Carajás esta apresentação é repetida anualmente. "Manifesto por uma Educação Libertária", baseada no “Auto dos 99%” de Oduvaldo Viana Filho. Durante esse ano, participou da ocupação urbana chamada de "Casa Rosa", no centro de Porto Alegre. Organizou, então, a Oficina de Teatro em Ação Direta, gratuita e aberta, com a proposta de criação de intervenções cênicas, esta oficina se mantém até hoje e já apresentou algumas intervenções, como “Dona Maria”, “O Direito de Comer Direito” (2008). Nos quarenta anos de edição do ato institucional nº5 (AI-5), estreou seu primeiro espetáculo de rua, "O Canto da Terra", trazendo a público a história dos massacres no Pará, desde a guerrilha do Araguaia até o massacre de Carajás.
Em Janeiro de 2009, a Cambada deu início à oficina de teatro de rua, em uma sala no Centro Cultural Companhia de Arte, alugada com recursos dos próprios integrantes, obtidos de seus trabalhos assalariados. Esta oficina, que depois foi transferida para o Quilombo das Artes, deu origem ao espetáculo do grupo: “Árvore em Fogo” baseado na vida e na obra do dramaturgo Bertolt Brecht que estreou em dezembro de 2009. Ao completar um ano de atividades, a Cambada firma parceria com a Comunidade Autônoma Utopia e Luta, e passa a trabalhar no Quilombo das Artes, onde dá continuidade à Oficina de Teatro em Ação Direta, e onde constrói e apresenta as intervenções com seus oficinandos: “Nosso herói morreu de calibre 12, “1º de Maio Trabalhadores” e “O Julgamento de Yeda Crusius(2009).
  Em janeiro de 2010 participa do 3º encontro da Rede Brasileira de Teatro de Rua - Região Sul, em abril participa de um encontro com o grupo Cia Estudo de Cena de São Paulo, onde é debatido o “Teatro de Agitação e Propaganda, o papel do teatro militante”, e em maio participa do 7º encontro de articuladores da Rede Brasileira de Teatro de Rua e da 5ª Feira da Biodiversidade. No mesmo mês apresenta a intervenção “A farsa da Abolição” com os integrantes da oficina de teatro em ação direta. (2010), ainda neste ano a Cambada realizou várias intervenções cênicas, trabalhando a linguagem de AGITPROP, com as seguintes temáticas: eleições, marcha contra o militarismo, racismo. Ao longo de todo o ano de 2010 a Cambada desenvolve seu primeiro espetáculo de sala, Margem Abandonada Medeamaterial Paisagem com Argonautas, espetáculo que ainda em andamento foi convidado a participar do projeto “Revelando Artimanhas: Artimanha Recebe” em Campo Limpo na cidade de São Paulo, neste mesmo projeto o grupo apresentou a peça de teatro de rua “Árvore em Fogo”, que foi debatida, assim como a peça de sala em processo pelas Professoras Iná Camargo Costa e Ingrid Koudela. No final do mesmo ano estréia sua primeira montagem para teatro de vivência: Margem Abandonada Medeamaterial Paisagem com Argonautas, uma livre adaptação do texto de Heiner Müller, montagem que estreou dia 13 de dezembro no Clube de Cultura.
Em fevereiro de 2011 o grupo é convidado pela prefeitura de Porto Alegre para a realização do Carnaval Comunitário, junto às periferias da Capital; em março apresenta no Festival 27 horas Ininterruptas de Teatro em Santa Cruz do Sul e em abril selecionado para participar do 3º Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre em maio o grupo participa da 5ª Feira da Biodiversidade e em junho participa do 1º Encontro de Negros e Negras da UFRGS. Neste mesmo ano cria as intervenções “Pula a Roleta” e “Pacha mama”.
Em agosto o grupo é convidado para participar do II Encontro de Cultura Popular e Teatro de Guaíba, das comemorações do 7º aniversário do Grupo TIA em Canoas e em novembro apresenta na II Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre. No dia 13 de dezembro estréia sua nova montagem para teatro de rua “Futebol, nossa Paixão: pra falar sobre política, futebol e religião!”, livre adaptação do texto “Corinthians, meu amor” de César Vieira.
Em janeiro de 2012 o grupo é convidado a participar do I Encontro de Educação Libertária em Sapiranga/RS, no I AfroCena em Venâncio Aires/RS, no Encontro dos Comitês Populares sobre a Copa em Viamão/RS e no mesmo mês é selecionado à participar da programação do GT de Temática de Cultura no Fórum Social Mundial em Porto Alegre/RS.
  Em fevereiro o grupo ganha o edital de Ocupação das salas da Casa de Cultura Mario Quintana para a Oficina de Teatro em Ação Direta, é convidado a apresentar-se em abril no Projeto Usina na Praça e selecionado para participar do 54 FESTA – Festival Santista de Teatro, também em abril.  Neste mesmo mês a Cambada realiza uma semana de programação teatral e gratuita por conta de seu aniversário de 4 anos. Em maio o grupo participa da 6ª Feira da Biodiversidade.

Em junho o grupo é selecionado para fazer parte da 8ª edição do Projeto Usina das Artes, onde durante um ano ocupará a sala 505, e onde cria sua mais nova Oficina de Teatro para o Avanço Popular. Neste mês de junho participa da programação de cultura da Cúpula dos Povos na Rio + 20 no Rio de Janeiro. Em agosto é convidado a apresentar no Encontro Nacional dos Comitês Populares sobre a Copa em Fortaleza/CE. No mês de setembro o grupo realiza um ciclo de Cinema e Debate “Memória. Verdade e Justiça” na Usina do Gasômetro que contou com debatedores participantes da Comissão Estadual da Verdade, professores, advogados e o ex integrante dos Tupamaro Jorge Zabalza. Neste mesmo mês o grupo é selecionado a participar do VIII FESTMAR - Festival Nacional de Teatro de Rua do Movimento de Agitação e Resistência da Cultura Popular em Aracati/CE. Em outubro o grupo é selecionado para abrir o Festival Cenários Possíveis no Palco Fora do Eixo, etapa Porto Alegre e convidado a apresentar na III Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre. Em novembro o grupo promove o Ciclo de Cinema e Debate com Temática Indígena, com a presença de caciques das etnias mbya guarani e kaingang, além de pesquisadores da UFRGS e apresenta sua intervenção “Somos todos Guarani Kaiowa”,. Em dezembro a Cambada promove o Cine pela Justiça “Quem não samba, camba”, com o documentário sobre Carlos Marighella, no mesmo mês a Cambada apresenta na cidade metropolitana de Sapucaia no evento 'NÃOTAL - Libertário, Sustentável & Autogestionado'. Em Janeiro de 2013 a Cambada realiza uma mostra da montagem da oficina de teatro em avanço para o poder popular “Momo”, neste mesmo mês apresenta com a oficina de teatro em ação direta a intervenção “Somos todos Guarani Kaiowa” no X ELAOPA (Encontro Latino Americano de Organizações Participativas Autônomas). Em fevereiro o grupo promove uma mostra de processo de sua nova peça a “Tebas ou Trilogia Tebana”. Ainda no mês de fevereiro a peça “Futebol, nossa Paixão” é selecionada para apresentar no 5º Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre, que aconteceu em abril deste mesmo ano, mesmo mês em que o grupo estreou sua mais nova peça de vivência “Tebas ou a Trilogia Tebana”, ainda no mês de abril o grupo recebe o convite para participar no Projeto Celebrações Liberdade e Humanidade – Diversidades e Identidades – Lugares e Caminho na Cidade de Tarrafal em Cabo Verde na África que ocorrerá em janeiro de 2014. No mês de maio o Levanta Favela participa da Semana Acadêmica da História da UFRGS, do XXXII Encontro de Geógrafos e da 7ª Feira da Biodiversidade e é convidado a participar do FESTCAL - Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo - "Homenagem aos 25 Anos do Grupo Pombas Urbanas - Semeando Asas da Sul para a Leste" que acontecerá em 2014 em São Paulo. Já em Junho o grupo é convidado a participar do Festival Multicultural Neunderground que ocorrerá em setembro. Em julho o grupo é pré-selecionado para participar do XVII ENTRAR - Encontro Nacional de Teatro de Rua de Angra dos Reis em novembro.

 A Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta FavelA... iniciou suas atividades em 2008 com uma intervenção cênica de denúncia aos doze anos de impunidade do massacre de Eldorado dos Carajás esta apresentação é repetida anualmente. "Manifesto por uma Educação Libertária", baseada no “Auto dos 99%” de Oduvaldo Viana Filho. Durante esse ano, participou da ocupação urbana chamada de "Casa Rosa", no centro de Porto Alegre. Organizou, então, a Oficina de Teatro em Ação Direta, gratuita e aberta, com a proposta de criação de intervenções cênicas, esta oficina se mantém até hoje e já apresentou algumas intervenções, como “Dona Maria”, “O Direito de Comer Direito” (2008). Nos quarenta anos de edição do ato institucional nº5 (AI-5), estreou seu primeiro espetáculo de rua, "O Canto da Terra", trazendo a público a história dos massacres no Pará, desde a guerrilha do Araguaia até o massacre de Carajás.
Em Janeiro de 2009, a Cambada deu início à oficina de teatro de rua, em uma sala no Centro Cultural Companhia de Arte, alugada com recursos dos próprios integrantes, obtidos de seus trabalhos assalariados. Esta oficina, que depois foi transferida para o Quilombo das Artes, deu origem ao espetáculo do grupo: “Árvore em Fogo” baseado na vida e na obra do dramaturgo Bertolt Brecht que estreou em dezembro de 2009. Ao completar um ano de atividades, a Cambada firma parceria com a Comunidade Autônoma Utopia e Luta, e passa a trabalhar no Quilombo das Artes, onde dá continuidade à Oficina de Teatro em Ação Direta, e onde constrói e apresenta as intervenções com seus oficinandos: “Nosso herói morreu de calibre 12”, “1º de Maio Trabalhadores” e “O Julgamento de Yeda Crusius” (2009).
  Em janeiro de 2010 participa do 3º encontro da Rede Brasileira de Teatro de Rua - Região Sul, em abril participa de um encontro com o grupo Cia Estudo de Cena de São Paulo, onde é debatido o “Teatro de Agitação e Propaganda, o papel do teatro militante”, e em maio participa do 7º encontro de articuladores da Rede Brasileira de Teatro de Rua e da 5ª Feira da Biodiversidade. No mesmo mês apresenta a intervenção “A farsa da Abolição” com os integrantes da oficina de teatro em ação direta. (2010), ainda neste ano a Cambada realizou várias intervenções cênicas, trabalhando a linguagem de AGITPROP, com as seguintes temáticas: eleições, marcha contra o militarismo, racismo. Ao longo de todo o ano de 2010 a Cambada desenvolve seu primeiro espetáculo de sala, Margem Abandonada Medeamaterial Paisagem com Argonautas, espetáculo que ainda em andamento foi convidado a participar do projeto “Revelando Artimanhas: Artimanha Recebe” em Campo Limpo na cidade de São Paulo, neste mesmo projeto o grupo apresentou a peça de teatro de rua “Árvore em Fogo”, que foi debatida, assim como a peça de sala em processo pelas Professoras Iná Camargo Costa e Ingrid Koudela. No final do mesmo ano estreia sua primeira montagem para teatro de vivência: Margem Abandonada Medeamaterial Paisagem com Argonautas, uma livre adaptação do texto de Heiner Müller, montagem que estreou dia 13 de dezembro no Clube de Cultura.
Em fevereiro de 2011 o grupo é convidado pela prefeitura de Porto Alegre para a realização do Carnaval Comunitário, junto às periferias da Capital; em março apresenta no Festival 27 horas Ininterruptas de Teatro em Santa Cruz do Sul e em abril selecionado para participar do 3º Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre em maio o grupo participa da 5ª Feira da Biodiversidade e em junho participa do 1º Encontro de Negros e Negras da UFRGS. Neste mesmo ano cria as intervenções “Pula a Roleta” e “Pacha mama”.
Em agosto o grupo é convidado para participar do II Encontro de Cultura Popular e Teatro de Guaíba, das comemorações do 7º aniversário do Grupo TIA em Canoas e em novembro apresenta na II Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre. No dia 13 de dezembro estreia sua nova montagem para teatro de rua “Futebol, nossa Paixão: pra falar sobre política, futebol e religião!”, livre adaptação do texto “Corinthians, meu amor” de César Vieira.
Em janeiro de 2012 o grupo é convidado a participar do I Encontro de Educação Libertária em Sapiranga/RS, no I AfroCena em Venâncio Aires/RS, no Encontro dos Comitês Populares sobre a Copa em Viamão/RS e no mesmo mês é selecionado à participar da programação do GT de Temática de Cultura no Fórum Social Mundial em Porto Alegre/RS.
  Em fevereiro o grupo ganha o edital de Ocupação das salas da Casa de Cultura Mario Quintana para a Oficina de Teatro em Ação Direta, é convidado a apresentar-se em abril no Projeto Usina na Praça e selecionado para participar do 54 FESTA – Festival Santista de Teatro, também em abril.  Neste mesmo mês a Cambada realiza uma semana de programação teatral e gratuita por conta de seu aniversário de 4 anos. Em maio o grupo participa da 6ª Feira da Biodiversidade.
Em junho o grupo é selecionado para fazer parte da 8ª edição do Projeto Usina das Artes, onde durante um ano ocupará a sala 505, e onde cria sua mais nova Oficina de Teatro para o Avanço Popular. Neste mês de junho participa da programação de cultura da Cúpula dos Povos na Rio + 20 no Rio de Janeiro. Em agosto é convidado a apresentar no Encontro Nacional dos Comitês Populares sobre a Copa em Fortaleza/CE. No mês de setembro o grupo realiza um ciclo de Cinema e Debate “Memória. Verdade e Justiça” na Usina do Gasômetro que contou com debatedores participantes da Comissão Estadual da Verdade, professores, advogados e o ex integrante dos Tupamaro Jorge Zabalza. Neste mesmo mês o grupo é selecionado a participar do VIII FESTMAR - Festival Nacional de Teatro de Rua do Movimento de Agitação e Resistência da Cultura Popular em Aracati/CE. Em outubro o grupo é selecionado para abrir o Festival Cenários Possíveis no Palco Fora do Eixo, etapa Porto Alegre e convidado a apresentar na III Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre. Em novembro o grupo promove o Ciclo de Cinema e Debate com Temática Indígena, com a presença de caciques das etnias mbya guarani e kaingang, além de pesquisadores da UFRGS e apresenta sua intervenção “Somos todos Guarani Kaiowa”,. Em dezembro a Cambada promove o Cine pela Justiça “Quem não samba, camba”, com o documentário sobre Carlos Marighella, no mesmo mês a Cambada apresenta na cidade metropolitana de Sapucaia no evento 'NÃOTAL - Libertário, Sustentável & Autogestionado'. Em Janeiro de 2013 a Cambada realiza uma mostra da montagem da oficina de teatro em avanço para o poder popular “Momo”, neste mesmo mês apresenta com a oficina de teatro em ação direta a intervenção “Somos todos Guarani Kaiowa” no X ELAOPA (Encontro Latino Americano de Organizações Participativas Autônomas). Em fevereiro o grupo promove uma mostra de processo de sua nova peça a “Tebas ou Trilogia Tebana”. Ainda no mês de fevereiro a peça “Futebol, nossa Paixão” é selecionada para apresentar no 5º Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre, que aconteceu em abril deste mesmo ano, mesmo mês em que o grupo estreou sua mais nova peça de vivência “Tebas ou a Trilogia Tebana”, ainda no mês de abril o grupo recebe o convite para participar no Projeto Celebrações Liberdade e Humanidade – Diversidades e Identidades – Lugares e Caminho na Cidade de Tarrafal em Cabo Verde na África que ocorrerá em janeiro de 2014. No mês de maio o Levanta Favela participa da Semana Acadêmica da História da UFRGS, do XXXII Encontro de Geógrafos e da 7ª Feira da Biodiversidade. Já em Junho o grupo é convidado a participar do Festival Multicultural Neunderground que ocorrerá em setembro. Em novembro o grupo participa do XVII ENTRAR - Encontro Nacional de Teatro de Rua de Angra dos Reis. Ainda neste mesmo ano a Cambada é contemplada para a 9ª edição do Projeto Usina das Artes, continuando o projeto de ocupação cênica e estreia seu novo espetáculo de teatro de rua “A belíssima fábula de Xuá-Xuá, a fêmea pré-humana que descobriu o teatro” inspirada no texto homônimo de Augusto Boal.
 Em janeiro de 2014 integra a programação do II Encontro dos De Baixo, em Porto Alegre, e em abril o grupo apresenta na 6ª edição do Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre com “A belíssima fábula de Xuá-Xuá...”. Ainda em abril participa do 9º FESTCAL - Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo - "Homenagem aos 25 Anos do Grupo Pombas Urbanas - Semeando Asas da Sul para a Leste" em São Paulo, nesta apresentação tivemos o prazer de ter entre os espectadores o senhor César Vieira, autor da obra que serviu de inspiração pro espetáculo “Futebol nossa paixão”. Em novembro a cambada participa do 1º Encontro Internacional de Teatro Comunitário no Rio de Janeiro. Em novembro de 2014 a Cambada é contemplada com o Prêmio Artes nas Ruas 2014 na categoria montagem, para execução do projeto Mãos na Terra Plantando Raízes Para um Teatro Popular que terá entre outras atividades, a montagem da peça Ayuca karaíba: A lenda da Sepé Tiarajú, peça que também contempla a programação deste projeto. Em dezembro a Cambada realiza a estreia de sua nova peça de teatro de vivência: O Beijo no Asfalto.
Em fevereiro de 2015 o grupo apresenta a intervenção sobre a morte de Elton Brum no evento de memória dos 259 anos da Morte de Sepé Tiaraju em São Gabriel, a intervenção Guarani Kaoiowa na aldeia kaingang do Morro do Osso em Porto Alegre, na Plenária dos Povos e também no ELAOPA, no assentamento do MST em Viamão. Em março é contemplada para a 9ª edição do Projeto Usina das Artes, continuando o projeto de ocupação cênica neste centro cultural.
Em abril participa do 7º Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre, com o espetáculo "Tebas ou a Trilogia Tebana". Em maio participa da IX Mostra de Teatro de Rua de São Miguel Paulista, em São Paulo. Em junho estréia duas esquetes "O Caralho Voador" e "O Profanador" apresentado em bares da cidade. Em agosto participa do 1º FARPA- Festival de Artistas de Rua de Porto Alegre.
Em novembro participa do 2º Encontro Internacional de teatro Comunitário do Rio de Janeiro; em dezembro estreia o espetáculo de teatro de rua "Sepé: Guarani Kuery Mbaraeté!" e é indicado ao Prêmio Açorianos de Teatro de Porto Alegre em 3 categorias pelo espetáculo "O Beijo no Asfalto". Em  fevereiro 2016 participa das homenagens aos 260 anos da morte de Sepé Tiaraju em São Gabriel, em maio participa do encontro do 1º de maio na Comunidade Orquídea Libertária em Gravataí; junho participa do 8º Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre, e em agosto participa do 3º Encontro de Redes Auto Gestionárias em Santa Maria e do 8º FESTIA em Canoas. Em setembro participou do 3º Encontro dos de Baixo na escola Porto Alegre. Em outubro participou da 30ª Feira do Livro de Gravataí e do 1º Usina (R)existe.
Em dezembro estreou o espetáculo de teatro de vivência "A mulher crucificada, Lua de Mel em Buenos Aires, o Beijo da Besta. Ainda em dezembro participou do 1º Rebuliço Cultural em Porto Alegre.
Em 2017, no mês de abril participou do Encontro Nacional da População de Rua.